Emanuel Carneiro

Coluna do Emanuel Carneiro

Veja todas as colunas

O Cruzeiro

O Cruzeiro

03/10/2017 às 11:31

Jaci Silveira/Cruzeiro

O Conselho Deliberativo do Cruzeiro elegeu nessa segunda-feira Wagner Pires de Sá para presidente do clube nos próximos 3 anos, com 95,7% de comparecimento. Houve disputa, a diferença de apenas 35 votos demonstra o grande trabalho das duas chapas.

O que importa agora é já pensar na próxima temporada e buscar robustecer o elenco pois vem aí a Libertadores tão sonhada.

O Cruzeiro entra em 2018 com um time bem formado e não há a necessidade de qualquer tipo de reformulação. Todo time precisa de reforços. O Cruzeiro também, mas seriam dois ou três no máximo.

Há jogadores importantes ainda no departamento médico e um bom trabalho na base que, por exemplo, deu a Mano Menezes um zagueiro de primeira, o Murilo, depois daquele período inseguro com o Caicedo.

A eleição do novo presidente não deve e nem pode deixar o clube dividido, problema que parece fora de cogitação.

A diretoria que entra sabe que a torcida é exigente, não aceita jogador de qualidade duvidosa. Ao presidente que sai, o Gilvan de Pinho Tavares, fica a sensação de dever cumprido, com o seu estilo discreto, honesto e totalmente dedicado ao clube. Seus seis anos foram produtivos e Gilvan conviveu bem com algumas incompreensões da torcida. Futebol é paixão. Ponto final.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    "A família me procurou no início do mês, estava preocupada por ele estar sem advogado", explicou o advogado #itatiaia

    Acessar Link