Notícias

Deputados federais por Minas gastam R$ 1,3 milhão com cota parlamentar em meses de pandemia

Por Redação , 16/06/2020 às 09:05
atualizado em: 16/06/2020 às 15:21

Texto:

Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

RESUMO

  • Deputados por Minas gastaram R$ 1,3 milhão com a chamada cota parlamentar em abril e maio
  • Dados estão disponíveis no portal da Câmara e foram compilados pelo site da itatiaia 
  • Deputado Hercílio Coelho Diniz (MDB) foi o único que não gastou 
  • Valor gasto entre abril e maio daria para comprar 20 respiradores 
  • 500 municípios de Minas não têm respirador


Rômulo Ávila*

Os deputados federais de Minas listaram gastos de mais de R$ 1,3 milhão com a chamada cota parlamentar em abril e maio deste ano, meses de isolamento social e de atividades virtuais no Congresso em razão da pandemia do novo coronavírus. O levantamento foi feito pelo site da Itatiaia com base em informações listadas pelos parlamentares no portal da Câmara (confira abaixo quanto cada deputado gastou). O valor daria para comprar dezenas de respiradores. 

Leia também: Deputados de Minas gastam quase R$ 1 milhão com verba indenizatória em plena pandemia

Conforme a Câmara Federal, a chamada cota parlamentar “visa o custeio de despesas típicas do exercício do mandato do deputado”, como passagens aéreas, combustível, hospedagem, locação ou fretamento de veículos, entre outros. O valor mensal não é o mesmo para todos estados. No caso de Minas, cada um dos 53 parlamentares tem R$ 36.092,71 para gastar, segundo o portal da Câmara. 

Os três deputados federais com mais gastos listados em abril e maio são Euclydes Pettersen (PSC), com R$ 51 mil; Lincoln Portela (PL) e Leonardo Monteiro (PT), ambos com pouco mais de R$ 47 mil. Outros quatro parlamentares tiveram gastos acima de R$ 40 mil (veja relação abaixo).

A reportagem da Itatiaia entrou em contato com os três e aguarda resposta de Euclydes Pettersen (PSC). Leonardo Monteiro (PT) disse que, apesar da pandemia, o mandato não parou. “Continuamos trabalhando, cada um em sua própria casa, para ajudar o povo mineiro a enfrentar essa crise sanitária, econômica e social. Por causa das mudanças na forma de trabalho, os gastos nos últimos meses diminuíram em relação aos anteriores. Despesas com combustíveis, uso de carro, telefonia e outros estão bem abaixo do valor utilizado normalmente. De passagem aérea, por exemplo, não tem. O que se mantém são apenas os gastos regulares que são os custos de contratos já assumidos”, disse em nota. 

Já Lincon Portela (PL) também disse que o trabalho como parlamentar não parou. Por telefone, ressaltou ser autor de um projeto para reduzir o salário e a verba parlamentar dos deputados. Destacou ainda que gastou a metade do valor que tinha disponível. Disse também que gastou um valor maior em abril porque produziu material informativo e distribuiu para associações e comunidades no interior de Minas.  

Na outra ponta, o deputado Hercílio Coelho Diniz (MDB) não tem gasto listado em 2020. Junio Amaral (PSL), Tiago Mitraud (NOVO), Greyce Elias (AVANTE) e Vilson da Fetaemg (PSB) foram os que listaram os menores gastos em abril e maio.

A reportagem também procurou o deputado Hercílio Coelho para saber porque ele tem gasto zero. Em nota, a assessoria informou que o parlamentar é o que mais economiza no Congresso.  “Vale destacar que Hercílio também abriu mão do auxílio-moradia e do imóvel funcional, além de ter recusado na campanha em 2018 o fundo eleitoral de mais de R$1,5 milhão. Neste ano (2020), o feito se repete. Nada foi gasto da Cota Parlamentar e o deputado ainda continua sendo um dos que mais economiza com Verba de Gabinete, por ter um número reduzido de assessores”.

Respiradores 

Em abril deste ano, o Ministério da Saúde comprou respiradores mecânicos por US$ 13 mil (cerca de R$ 67 mil). Com base nesse preço, o valor gasto pelos deputados mineiros no Congresso seria suficiente, por exemplo, para comprar 20 respiradores, aparelhos indispensáveis para salvar vidas na luta contra a covid-19.

O respirador auxilia pacientes que não conseguem respirar sozinhos e seu uso é indicado nos casos graves de covid-19, que apresentam dificuldades respiratórias. Pelo menos 500 dos 853 municípios iniciaram a luta contra a pandemia sem um aparelho sequer.  

Confira o valor gastos pelos deputados federais:

* Colaborou Erika Oliveira 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    O setor só poderá voltar a funcionar na segunda fase de reabertura, que entra em vigor 15 dias após a primeira. #Itatiaia

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Iraci Batista do bairro Boa Vista, em BH, conta ao Voz das Ruas, da Rádio Itatiaia, que precisou mudar de profissão por causa da suspensão de alguns serviços em BH devido a pa...

    Acessar Link