Notícias

Efeitos da paralisação do futebol serão menos sentidos pelo Cruzeiro, diz dirigente 

Por Redação , 28/03/2020 às 13:49
atualizado em: 28/03/2020 às 14:34

Texto:

Ouça na Íntegra
00:00 00:00

O Cruzeiro deve sentir menos os impactos provocados pela paralisação do futebol brasileiro em razão da pandemia do novo coronavírus. Em entrevista ao Programa Bastidores, da Itatiaia, Carlos Ferreira, membro do Conselho Gestor do clube, destacou que o clube está com todos os compromissos assumidos pela atual gestão em dia.

“Desde o fim do ano passado já estávamos em crise financeira. O Conselho Gestor, com um trabalho árduo, conseguiu equalizar as finanças. Acho que o Cruzeiro também vai sentir o peso dessas paralisações, porém acredito que alguns clubes vão sentir bem mais as consequências do que nós . Hoje trabalhamos apenas no campo das hipóteses”, destacou.

Carlos Ferreira disse que as decisões tomadas pelo Cruzeiro estão em consonância com os demais clubes do Brasil. “Essa semana houve uma conferência entre os clubes, intermediada pela CBF, na qual ficou acordada a concessão de férias aos atletas pelo período de 20 dias, a partir de 1º de abril”, lembrou.

Ferreira destacou que não há atraso de salário no clube, incluindo jogadores e demais funcionários. “O Conselho Gestor está em dia com todas as obrigações assumidas desde o primeiro dia de sua gestão”.

Fifa

O dirigente também informou que o Cruzeiro negocia com os credores que acionaram o clube na Fifa. “Os processos que lá tramitam já estão em fase final de execução, não cabendo mais recursos. Dessa forma temos que negociar diretamente com os clubes que acionaram a Fifa. As negociações estão tendo boa evolução e esperamos, em um curto espaço de tempo, que todas as negociações seja concluídas em benefício do Cruzeiro”. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    O auxílio é pago a brasileiros maiores de 18 anos com renda de até R$ 522,50 por pessoa, ou até R$ 3.135 por família.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    Em meio ao avanço da doença, Brasil continua sem um titular no comando do Ministério da Saúde.

    Acessar Link